Câmara de Moura

No documento é afirmado que depois de ter sido facultada uma listagem de realizações a considerar nas Grandes Opções do Plano para 2019, a CDU colocou em discussão 4 pontos, nomeadamente a rejeição do processo de transferência de competências para 2019, no modo em que foi colocado pelo Governo ao município de Moura, o princípio da manutenção do sector da água em baixa na esfera do Município, rejeitando qualquer hipótese ou cenário de agregação ou privatização, a reposição dos Acordos de Cooperação com as Juntas de Freguesia do concelho nos valores praticados em 2017 e a intervenção da ligação entre a rua das hortas e a rua do areeiro no Bairro do Sete e Meio em Moura.

André Linhas Roxas, vereador da CDU na Câmara de Moura, afirma que destas propostas nenhuma está contemplada nas Grandes Opções do Plano e Orçamento apresentados pela maioria PS e que este foi um dos motivos para votarem contra.

Segundo a CDU “a inércia e a falta de estratégia do executivo municipal do PS leva a que estas Grandes Opções do Plano fiquem aquém do que é necessário para o concelho de Moura” e que se mantenha uma “orientação que vai do assistencialismo à injustiça social, de que são exemplos os incentivos à natalidade e a redução na participação variável no IRS que beneficia as pessoas com mais rendimentos”.

Ainda de acordo com a CDU, “o que de positivo, os documentos contêm resulta da continuidade de iniciativas e projectos que têm a marca da CDU e que a população e as entidades do concelho tornaram irreversíveis” e que “não se vislumbra qualquer nova visão estratégica para o concelho”.






Comente esta notícia