Francisco Sobral

Um espectáculo que remete, ao que de mais genuíno e verdadeiro está na génese de um País. Francisco Sobral transporta o espectador, para as “raízes de um povo, com uma identidade singular, cantando histórias feitas nossas, quando nos sentimos nelas. Um portento de alma e emoção que consegue incorporar o lado melancólico e de celebração da vida”.

Francisco Sobral transforma o “palco num pulsar de sentimentos, emoções e diversão”. O fado das tradições, do amor, da saudade, das romarias e da festa.

Francisco Sobral vai estar, esta noite, acompanhado à guitarra por Rodolfo Godinho, à viola por Cajé Garcia e na viola baixo por Maximo Ciuro.





Comente esta notícia