Centro de Paralisia Cerebral de Beja

O CPCB candidatou-se, no âmbito do Portugal 2020, a um programa criado pelo Governo, denominado Modelo de Apoio à Vida Independente (MAVI), que assenta na

disponibilização de assistência pessoal a pessoas com deficiência e incapacidade para a realização de atividades da vida diária e de mediação em contextos diversos. Com a aprovação da candidatura, o CPCB constituiu-se como Centro de Apoio à Vida Independente e a presidente da Direção, Francisca Guerreiro, mostra-se satisfeita com este resultado, que permite à instituição iniciar este caminho que, considera, ser o futuro no apoio às pessoas com deficiência.

O Centro de Apoio à Vida Independente começou a funcionar no início deste ano, dispondo de um Gabinete Técnico, composto por uma diretora técnica/terapeuta ocupacional, uma psicóloga e um gestor, revelou, também, Francisca Guerreiro.

Francisca Guerreiro avançou, ainda, como funciona o Centro, pensado para 36 meses, e como se podem candidatar os utentes a este apoio.

Durante este mês de fevereiro estão a decorrer as inscrições dos destinatários, na sede do CPCB. Podem aceder a este apoio, com Atestado Médico de Incapacidade Multiuso ou Cartão de Deficiente das Forças Armadas, com Grau de incapacidade igual ou superior a 60%, idade igual ou superior a 16 anos, bem como pessoas com deficiência intelectual, doença mental ou perturbação do Espectro do Autismo, independentemente do grau de incapacidade que possua.


Comente esta notícia