reunião camara

No documento é esclarecido que na última reunião de Câmara os vereadores da CDU foram confrontados com “a apresentação de dois projetos da mesma instituição, a candidatar ao «Portugal Inovação Social» nos quais o Município de Beja assume – como investidor social e parceiro – a contribuição de 30% do financiamento proposto. Um deles é a futura Incubadora de Inovação Social do Baixo Alentejo, para o qual o Município entrará com o montante de cerca de 102 mil euros e no outro, o “COM_VIDA”, o compromisso é de cerca de 97 mil euros. No total serão canalizados cerca de 199 mil euros para dois projetos do Centro Social de Nossa Senhora da Graça, em Baleizão.”. As declarações são do vereador da CDU Vítor Picado.

Entendem os eleitos da CDU que “esta decisão teve nos seus princípios um claro favorecimento”, em detrimento “de critérios que permitiriam a um conjunto de entidades da Rede Social, que trabalham áreas elegíveis na medida em questão, realizarem candidaturas, e desta forma poderem vir a beneficiar do investimento público que agora sabemos existir e que representa cerca de 199 mil euros.” As palavras são, também, de Vítor Picado.

Os vereadores dizem que não colocam “em causa o mérito da instituição”, mas querem saber se a autarquia informou todos os parceiros da Rede Social desta possibilidade de poder ser “investidor social e parceiro” e quais as estratégias futuras a adotar pela Câmara Municipal em eventuais candidaturas ao “Portugal Inovação Social”. Dizem estranhar, também, como pode assumir a entidade em causa, um projeto de dimensão regional, “a futura Incubadora de Inovação Social do Baixo Alentejo”, fora da sua missão. As declarações são, ainda, de Vítor Picado.

Os vereadores da CDU terminam frisando que com esta atitude “cai por terra o lema «fazer diferente, fazer melhor» tantas vezes apregoado e agora esquecido.”

A Voz da Planície chegou à fala com a vereadora da Câmara de Beja, responsável pela área social e Marisa Saturnino começou por dizer que estava surpreendida com o comunicado da CDU, porque "todas as respostas foram dadas" aos vereadores da Coligação, na "reunião de Câmara em que se abstiveram na votação" do projeto em causa. Prosseguiu referindo que não "alimenta polémicas" e avançando que tudo foi tratado com "clareza e transparência". Acrescentou tratar-se de um projeto que foi proposto pela entidade em causa à Câmara de Beja e que a autarquia aceitou ser "investidor parceiro". Revelou, igualmente, que este projeto vai "ao plenário do CLAS, em dezembro, tal como outros". No final Marisa Saturnino quis deixar claro que um dos compromissos do programa eleitoral era o de "criar uma nova dinâmica para o Centro Social do Lidador e Universidade Sénior" situação que se está a verificar, nas suas palavras, com "a futura Incubadora de Inovação Social do Baixo Alentejo” e que a autarquia por "querer trabalhar com as pessoas e para as pessoas do concelho está aberta a propostas de outras entidades".


Comente esta notícia