Pedro do Carmo

E para alcançar aquele objectivo, a Concelhia de Beja do PS avança com a candidatura de Paulo Arsénio, apostando no regresso do actual eleito socialista na Assembleia Municipal, à liderança daquele órgão. Uma candidatura que já foi comunicada, pelo próprio, a Pedro do Carmo, garantiu o presidente da Federação do Baixo Alentejo dos socialistas, ao "Preto no Branco", programa onde revelou também que vai recandidatar-se à presidência da Federação.

Para Pedro do Carmo, Paulo Arsénio vai ser o factor de abrangência que o PS do Concelho de Beja precisa.

De referir que a data das eleições para as concelhias e secções do PS, no distrito de Beja, é decidida hoje, em reunião extraordinária da Federação, e que existem duas possibilidades, 6 ou 7 de Dezembro.

Nesta entrevista, Pedro do Carmo reconheceu que os resultados obtidos pelo PS no distrito e concelho de Beja, não corresponderam aos objectivos traçados pelos socialistas. O PS perdeu a Câmara de Beja e para este resultado, na opinião do presidente da Federação do Baixo Alentejo dos socialistas contribuíram os quatro anos de crispação política vividos, com uma oposição que não baixou os braços, que tudo fez para recuperar a autarquia perdida e a capacidade de organização e disciplina da CDU na mobilização para o voto, do seu eleitorado. Mas, Pedro do Carmo deixou uma crítica directa a Jorge Pulido Valente, dizendo que não soube distanciar-se da forma como lhe foi feita oposição, recordando episódios de reuniões de Câmara onde o ex-presidente diz ter sofrido agressões.

Pedro do Carmo não considera que o episódio das contas do Município tenha contribuído para o resultado de Jorge Pulido Valente e espera, uma resposta do anterior Executivo sobre os mapas referentes ao passivo da Câmara de Beja, à data de 17 de Outubro de 2013, divulgados agora, por João Rocha, na página da Internet da autarquia bejense.

Pedro do Carmo deixou também, no "Preto no Branco", algumas notas sobre o OE para 2014, dizendo que o Governo actual está muito longe da democracia, que merece críticas até dos militantes dos partidos que o compõem e que nunca nenhum tratou tão mal o distrito de Beja.


Comente esta notícia