Bolsa de Emergência Municipal

A ideia é “criar uma bolsa de 30 pessoas para reforço do pessoal de apoio às estruturas residenciais do concelho e que será mobilizada para uma estrutura residencial em caso de surto. No entretanto, os cidadãos que integrem a bolsa ficarão a exercer funções numa das 10 estruturas residenciais, reforçando a respetiva equipa da IPSS (Instituição Particular de Solidariedade Social).”

São destinatários “as pessoas que se encontrem numa das seguintes situações: desempregados beneficiários de subsídio de desemprego, subsídio de desemprego parcial ou subsídio social de desemprego; desempregados beneficiários do rendimento social de inserção; outros desempregados inscritos no IEFP; desempregados que não se encontrem inscritos no IEFP; trabalhadores com contrato de trabalho suspenso ou horário de trabalho reduzido; trabalhadores com contratos de trabalho a tempo parcial; estudantes, designadamente do ensino superior, e formandos, preferencialmente de áreas relacionadas com os projetos, desde que com idade não inferior a 18 anos. Os reformados e pensionistas podem ser integrados, enquanto desempregados, com ou sem inscrição no IEFP, desde que não tenham mais de 60 anos e não pertençam aos grupos de risco. Os cidadãos que integrem a Bolsa de Emergência Municipal recebem uma remuneração de acordo com a regulamentação aprovada, alimentação, transporte, seguro de acidentes e equipamento de proteção individual. Os interessados devem enviar e-mail a manifestar a intenção em aderir à BEM - Bolsa Emergência Municipal / Covid-19 para accao.social@cm-odemira.pt ou pedir informações através do contacto 961 620 618.”

Esta iniciativa do Município de Odemira decorre de uma candidatura ao Programa MAREESS – Medida de Apoio ao Reforço de Emergência de Equipamentos Sociais e de Saúde, do IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional, IP.


Comente esta notícia