comboios estradas aeroporto

As respostas do ministro foram dadas, na passada segunda-feira, na audição, conjunta, nas comissões parlamentares de Orçamento e Finanças e de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação.

Sobre a finalização do IP8 e a eletrificação/modernização da linha férrea: Casa Branca/Beja/Funcheira, João Dias frisou que as respostas de Pedro Nuno Santos foram “bastante desagradáveis”. Segundo o deputado do PCP, o ministro disse que não há “investimentos previstos para estes projetos” e no caso da ferrovia remeteu esta possibilidade para “uma possível reformulação do Programa Nacional de Investimentos 2030 (PNI2030)”.

O ministro das Infraestruturas confirmou na audição parlamentar, da passada segunda-feira, a notícia que a Voz da Planície já tinha avançado a 31 de outubro de 2019, quando chamou a atenção para o facto de, na apresentação do programa do XXII Governo Constitucional, António Costa ter dito, em resposta a uma pergunta de um deputado do PEV, que a eletrificação da linha férrea Beja/Funcheira “não é uma prioridade” e não está no “Programa Ferrovia 2020 nem no Programa Nacional de Infraestruturas”. O primeiro-ministro garantiu apenas, naquela altura, que “irá ser aberto em breve o concurso para a eletrificação da linha férrea entre Casa Branca e Beja." O deputado do PS, eleito pelo distrito, Pedro do Carmo, disse mais tarde, também à nossa estação, a 4 de novembro de 2019, que a eletrificação até à Funcheira poderia vir a ser “incluída na 1ª revisão do PNI2030”, mas sem conseguir indicar qualquer data para o efeito.

Quando questionado sobre o aeroporto, Pedro Nuno Santos respondeu que “tem vocação para ser a grande base militar do país”, assegura João Dias. O deputado comunista mostrou-se desagrado com “esta visão estratégica para uma infraestrutura que pode ser muitas outras coisas”. O PCP, assegura João Dias, “vai lutar contra esta perspetiva que desvaloriza e esquece o aeroporto de Beja”.

“Construir o novo aeroporto complementar da região de Lisboa em Alverca ou em Beja não constitui uma alternativa viável ao aeroporto do Montijo”, defendeu Pedro Nuno Santos e recordou que “Beja e Alverca não são alternativas [ao aeroporto no Montijo], estão mais que estudadas”. Neste contexto, o deputado João Dias reiterou que o aeroporto de Beja “não precisa de favores”, mas sim “das acessibilidades necessárias para levantar voo”.


Comente esta notícia