Olivais

Na perspetiva do PEV “o olival intensivo representa uma ameaça de morte do futuro do Alentejo, destrói solos e contamina águas, situação tanto mais grave, quando nos estamos a confrontar com os estudos que apontam esta como a região do país mais vulnerável à seca, como consequência das Alterações Climáticas”. Motivos que levam “Os Verdes”, nas palavras da deputada Heloísa Apolónia, a considerar que é preciso “travar a expansão do olival intensivo”.

Por outro lado, em destaque nestas Jornadas Parlamentares está, também, a eletrificação da linha ferroviária entre Casa Branca e Beja, uma das medidas para combater a interioridade, facilitar a mobilidade, potenciar a atração de empresas e gerar mais postos de trabalho, desenvolvendo o turismo, ajudando na fixação de pessoas, alavancando o potencial do terminal aeroportuário de Beja, ou seja, como forma de promover o desenvolvimento económico, social e ambiental do distrito de Beja. Esta foi uma das propostas que o PEV viu aprovada em sede de OE2019. Neste contexto, Heloísa Apolónia esclarece que “Os Verdes” não querem apenas a eletrificação da linha até Beja, mas sim até à Funcheira e explica porquê.

Neste segundo dia de Jornadas Parlamentares, “Os Verdes” reúnem-se com a Câmara Municipal de Serpa e com a Associação Ambiental de Amigos das Fortes, fazem um percurso pelo olival intensivo, no concelho de Ferreira do Alentejo e uma conferência de imprensa em Beja, às 16.00 horas, para fazerem o balanço destes dois dias no distrito de Beja.

Excerto da entrevista que pode ouvir nesta terça-feira, no jornal das 12.00 horas, com a deputada Heloísa Apolónia, sobre as Jornadas Parlamentares do PEV no distrito de Beja.


Comente esta notícia