revez entrevista

António Revez, considera que, pelos menos, nos últimos 15 anos, os municípios apostaram muito na “programação” e acabaram por esquecer a “criação”, nesse sentido, considera que à frente dos cine-teatros deviam estar criadores e aponta o caso concreto de Beja.

Ainda segundo, António Revez, o Alentejo tem apetência para o teatro e para a criação de estruturas teatrais mas tem faltado apoio por parte do poder central e local, a demonstrar isso mesmo, está o facto de, nos últimos anos, algumas companhias desapareceram e outras mantêm-se mas praticamente sem actividade.

Nesta entrevista, António Revez falou também do facto da Companhia Lendias d'Encantar ter sido criada há cerca de 20 anos e continuar sem um espaço próprio, nesse sentido, acusa o ministério da Cultura e os vários Executivos da Câmara Municipal de Beja de não terem tido vontade de resolver essa situação. António Revez espera abordar brevemente, este assunto com o Executivo que neste momento está à frente do município bejense.

Uma entrevista para ouvir, esta tarde, a partir das 18.00 horas, na Voz da Planície e ler na edição desta semana, do Diário do Alentejo.







Comente esta notícia