PCP Trabalhadores

Segundo o PCP, pretende-se que esta campanha "valorize o trabalho e os trabalhadores, que os mobilize e torne claro que só serão possíveis avanços mais significativos, e um rumo alternativo para o País, assente na ruptura com a política de direita e na afirmação da política patriótica e de esquerda de que Portugal precisa, com o seu envolvimento e a sua luta, contribuindo para a identificação pelos trabalhadores da posição e responsabilidade de outros, e designadamente do PS, em convergência com o PSD e o CDS".

O PCP pretende também que esta campanha “estimule a que cada trabalhador agarre os seus direitos, defendendo os que estão hoje consagrados, reclamando a reposição dos que foram roubados pela política de direita, concretizada por PS, PSD e CDS, e conquistando os muitos que correspondem a uma vida digna”.

Considera o PCP que esta campanha também deve surgir “pela eliminação das normas gravosas da legislação laboral, de que faz parte o agendamento potestativo do PCP na Assembleia da República, a 14 de Março, que visa a revogação da caducidade dos Contratos de Trabalho e a reposição do princípio do tratamento mais favorável, bem como o combate à desregulação dos horários”.


O PCP quer ainda que esta campanha contribua para a mobilização para os momentos de convergência da luta, designadamente a Manifestação Nacional de Mulheres, organizada pelo MDM, a 10 Março, a Manifestação Nacional de Jovens Trabalhadores, organizada pela Interjovem/CGTP-IN, a 28 de Março e sobretudo o Dia Internacional do Trabalhador, o 1º Maio, como grande jornada de luta com expressões por todo o País.


Esta Campanha Nacional teve inicio, a 20 de Fevereiro, na Casa do Alentejo, em Lisboa, assume, hoje, uma expressão nacional com várias acções de contacto e esclarecimento em várias empresas e locais por todo país e Beja não é excepção. Para as 7.30 horas estão agendados contactos com os trabalhadores das autarquias de Beja, Cuba, Serpa e Alvito, às 8.30 horas, com os trabalhadores da PT em Beja, às 12.30 horas com os trabalhadores das Minas Neves Corvo-Somincor e às 20.00 horas, com os trabalhadores das grandes superfícies comerciais de Beja.






Comente esta notícia