Correios Aljustrel

Os comunistas começam por recordar que o “Governo PSD/CDS iniciou em 2013, um processo de privatização dos CTT que o actual insiste em prosseguir” e que o “contrato de concessão celebrado entre o Estado e a empresa privada obriga a que esta mantenha um serviço público de qualidade”.
Considera o PCP que, “esta empresa, desde o momento em que adquiriu os serviços de correio, tem seguido um caminho de desinvestimento, consequentemente de redução da qualidade do serviço público prestado”.

Miguel Violante, da Comissão Concelhia de Aljustrel, afirma que o PCP já apresentou na Assembleia da República uma alteração legislativa que permitia a revogação da concessão do serviço postal nacional e essa revogação só não aconteceu porque o Governo do PS não quis.

Ainda de acordo, com Miguel Violante a degradação do serviço é evidente com o encerramento da Estação de Correios e destaca a acção de luta levada a cabo pelas populações.

Para o PCP, em Aljustrel nada disto surpreende, pois este caminho já foi presenciado na freguesia de Ervidel, aquando do encerramento da estação dos CTT contra a vontade da população.


Comente esta notícia