ESTAÇÃO DE COMBOIOS DE BEJA

Para o PCP as questões da mobilidade e das ligações ferroviárias urgem ser resolvidas no Alentejo, lembrando que este partido sempre fez o seu papel em sua defesa, incluindo no parlamento, logo em 2001, sobre o ramal Beja-Moura e depois a partir de 2011 sobre a manutenção do intercidades, direto, até Lisboa. Neste contexto, o deputado do PCP, eleito por Beja, João Ramos, apresentou números que demonstram o facto, de que as preocupações/reivindicações foram transmitidas ao Governo, de forma continuada, sobre estas matérias.

Em defesa da mobilidade ferroviária no distrito de Beja, foram apresentados também, três projetos de resolução, recorda o PCP, referindo que dois foram reprovados e um aprovado, embora continue por cumprir. Acrescenta que os dois reprovados, contaram com os votos contra do PS e o aprovado, com um voto a favor dos socialistas, apenas num dos pontos do documento. Factos que, na opinião do deputado João Ramos, podem ajudar, a população a fazer uma avaliação justa, do trabalho que cada partido desenvolve, na Assembleia da República, em defesa da região e das questões da mobilidade e das ligações ferroviárias em particular.

Durante a discussão do Orçamento do Estado para 2018, o Governo anunciou que a ligação direta Beja-Lisboa seria retomada já no próximo ano, com a aquisição de uma locomotiva bi-modo, com capacidade para fazer trajetos a diesel e eletrificados, situação que para o PCP não resolve a curto prazo os problemas da linha do Alentejo, dado que a aquisição deste equipamento deriva da abertura de um concurso que pode ficar concluído em 2020. Por tudo isto, o PCP considera que é preciso continuar a pedir o restabelecimento da ligação direta Beja/Lisboa, eletrificação do troço Beja/Casa Branca e a ligação Beja/Funcheira como importante ligação ao Algarve, frisando que a população sabe que este partido vai continuar ao seu lado nesta luta.


Comente esta notícia