Hospital Beja

No documento é referido que “esta situação tem sido acompanhada pelo Grupo Parlamentar do PCP, que tem alertado para o problema e exigido medidas que respondam à crónica carência de profissionais de saúde, em particular de médicos em todo o distrito de Beja e mais especificamente no que respeita à urgência de obstetrícia.”

Durante o debate quinzenal, o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, questionou o “primeiro-ministro sobre um conjunto de problemas concretos em hospitais, nomeadamente a falta de médicos nos blocos de partos em Beja e no Algarve, apontando para medidas aprovadas no Orçamento do Estado para 2019 e que ainda não foram concretizadas.”

No que respeita às medidas a serem tomadas, o secretário-geral do PCP solicitou ao primeiro-ministro que, “entenda isto como uma preocupação de fundo. Há verbas inscritas no Orçamento do Estado para resolver os problemas dos utentes. O Serviço Nacional de Saúde defende-se dando resposta aos portugueses, aos doentes”.

Na passada quarta-feira, “em plena audição regimental, o deputado João Dias questionou a ministra da Saúde quanto ao gravíssimo problema da desigualdade de acesso aos cuidados de saúde no distrito de Beja, mais especificamente quanto à obstetrícia, pediatria e centros de saúde.”


Comente esta notícia

Galeria de fotos