Pedro do Carmo

De acordo com Pedro do Carmo, "criar uma lei da rolha para que os autarcas não possam até 26 de maio, anunciar as obras que estão a realizar, que querem inaugurar ou que irão executar é um perfeito absurdo". 

O presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS frisa, ainda, que "com 45 anos de democracia os eleitores já provaram que sabem muito bem fazer as suas opções partidárias". 

Ainda segundo Pedro do Carmo, estas “instituições” insistem em querer tratar os cidadãos e as dinâmicas da sociedade como se fossem básicos, desprovidos de capacidade própria de pensar e de agir em função das suas avaliações.

Para o presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS “querer que as Autarquias locais, durante o período eleitoral para o PE, suspendam a sua acção, prevista em planos de actividade e orçamento, sustentada em oportunidades de aproveitamento de financiamentos comunitários ou impulsionadas pelas dinâmicas das comunidades e dos territórios é, no mínimo, ridículo”



Comente esta notícia

Exacto! Como é que fica nisto tudo aqueles autarcas e aqueles políticos que só vivem dos subsídios que dão aos jornais locais para promoverem a sua imagem? O que acontecerá aos Pedros do Carmo desta vida? O que acontecerá àqueles autarcas que tinham preparado as suas inaugurações para fazerem desfilar ministros e secretários de estado e agora terão de as guardar para outra altura fora do calendário eleitoral? Isto é tudo um problema muito grave para quem vive exclusivamente para estes momentos...

António Pedro

13/03/2019