Pedro Mestre

O evento têm incluídas iniciativas em várias localidades do concelho, e apresenta uma programação variada com música, gastronomia, arte, antropologia e cinema, que juntam tradição e criatividade.

“Criar um autêntico reboliço criativo” no concelho, envolvendo toda a comunidade, e ao mesmo tempo, dar a conhecer a forte ligação do etnomusicólogo Giacometti com este território é o objetivo da Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo, ao organizar a iniciativa.

“A figura que dá nome à iniciativa, Giacometti”, explica a autarquia, é uma “personalidade natural da Córsega”, que desenvolveu um trabalho distinto de “recolha e investigação em prol da cultura popular”, nomeadamente, nos domínios da “literatura oral, música, dança e medicina tradicional”.

O etnomusicólogo Michel Giacometti tem um forte elo de ligação à vila de Ferreira do Alentejo, onde em 1968, fez várias recolhas relacionadas com o cante em Ferreira, Figueira de Cavaleiros e Peroguarda, aldeia onde criou “laços profundos” com a comunidade local e que escolheu “como a sua última habitação”, explica o município ferreirense.

Mercado e concurso de popias, uma palestra sobre o cante popular religioso no Baixo Alentejo dinamizada pelo padre Cartageno, um workshop de músicas ibéricas, degustação de cervejas artesanais da região, dança com os Pauliteiros de Cércio e o concerto de Pedro Mestre e convidados, num espetáculo que caracteriza o cantor, a viola campaniça e o Alentejo são algumas das propostas da programação para este segundo dia de Festival.

Para mais informações, consulte o programa do Festival Giacometti em https://festivalgiacometti.pt/programa


Comente esta notícia

Galeria de fotos