Plataforma Alentejo

O primeiro encontro foi com o PSD e Claudino Matos, da Plataforma Alentejo, diz que a reunião correu muito bem. Avançou que havia conhecimento sobre os temas tratados nesta conversa, que contou com a presença, também, de Maria Graça Carvalho, deputada deste partido e subscritora da Plataforma.

Sobre o PNI 2030, o PSD avançou à Plataforma Alentejo que desconhece o que consta do documento e que está na disposição de votar a favor, mas que o voto favorável depende do que estiver considerado como prioridade. Neste contexto, o PSD revelou que está disponível para defender a região e as suas necessidades de investimento. As declarações são, igualmente, de Claudino Matos.

Claudino Matos frisou, ainda, que a Plataforma está “expetante” sobre o que foi considerado no PNI 2030 e que espera ver incluídas no documento as prioridades que pediu para serem introduzidas, no período de discussão do programa. Claudino Matos avançou que há mais encontros marcados com lideres nacionais dos partidos, com assento na Assembleia da República e que os vão sensibilizar para a questão do PNI 2030.

Na reunião com o PSD participou uma delegação da Plataforma Alentejo constituída por Claudino Matos, diretor-geral da ACOS; David Machado, presidente da Associação Desenvolvimento Local Rota do Guadiana; Filipe Pombeiro, presidente do NERBE/AEBAL; João Rosa, presidente da Associação do Comércio, Serviços e Turismo do Distrito de Beja; Jorge Pais, presidente do NERPOR; José Soeiro, membro da Comissão Dinamizadora de AMAlentejo e Manuel Valadas, porta-voz do Movimento de Cidadania Melhor Alentejo.


Comente esta notícia