Arte rupestre

Tendo presente as recentes notícias sobre a descoberta de novos núcleos de arte rupestre nas margens do Guadiana, perto da Ermida de N.ª Senhora da Ajuda, no concelho de Elvas, a Direção Regional de Cultura do Alentejo deslocou um Arqueólogo do seu mapa de pessoal ao local, que, na companhia do achador, Joaquim Larios Cuello, e do responsável pela divulgação do achado, Luís Lobato de Faria, teve oportunidade de confirmar in loco o interesse da descoberta.

As rochas com gravuras encontradas enquadram-se no tipo de manifestação artística já antes identificada a jusante, estudada e publicada em monografia temática. Consultado um dos especialistas que estudou esse conjunto, António Martinho Batista que foi, até há bem pouco tempo, Diretor do Parque Arqueológico do Vale do Côa e que tem dedicado a sua vida de investigador ao estudo da Arte Pré e Proto-Histórica, referiu que pensa serem inéditas estas descobertas e que, nos trabalhos anteriores chegou a estar perto da Ponte da Ajuda, mas que não terá tido oportunidade de ver e documentar as gravuras agora encontradas. O especialista salientou ainda o interesse da temática, com “…paralelos noutras rochas que…foram na altura estudadas…” e que se inserem “… no que definimos como período II da arte rupestre do Guadiana. Deve ser Calcolítica”, ou seja, da Idade do Cobre, refere a Direção Regional de Cultura do Alentejo, em nota de imprensa.


Comente esta notícia