PCP

A DRA enumera-as identificando, uma redução generalizada dos meios financeiros ao dispor das intervenções públicas municipais nas suas áreas de competência, a inexistência de uma visão estratégica e de uma abordagem integrada do desenvolvimento e da regeneração urbana, assim como de apoios a investimentos em infra-estruturas de comunicação de banda larga, equipamentos desportivos, infra-estruturas escolares e infra-estruturas rodoviárias.

A DRA do PCP aponta ainda, uma inversão das prioridades de coesão territorial e social, com inexistência de financiamentos para responder ao despovoamento e aos problemas demográficos e maior centralização das decisões.

No documento enviado à nossa redacção a DRA do PCP reafirma que esta política conduz cada vez mais à miséria e à pobreza, pelo que se impõe o reforço da luta pela demissão deste Governo, a devolução da palavra ao povo, para dar lugar a um governo patriótico e de esquerda de acordo com os interesses do País e da região.

A DRA do PCP reafirma, igualmente, a necessidade da elaboração de um Plano Estratégico de Desenvolvimento para o Alentejo, como pilar da definição das orientações para aproveitamento das potencialidades da Região e que articule os diferentes instrumentos, com destaque para o PORAlentejo, o impacto Regional dos Programas Temáticos e o Programa de Desenvolvimento Rural.


Comente esta notícia