Porquinho Doce

Doce fino de Beja e muito típico da época natalícia, o “Porquinho Doce” é riquíssimo em história e sabor, sendo produzido à base de açúcar, amêndoa, ovos, cacau, gila e pão. Na Confeitaria Bejense, atual Pastelaria Luiz da Rocha, fundada em 1893, já se fabricava este doce que teve a sua origem no Real Convento de Nossa Senhora da Conceição.

O Porquinho Doce está a disputar um lugar na final com mais 13 iguarias: Amêndoa Coberta de Moncorvo, de Bragança; Barrigas de Freira, de Aveiro; Bolinhol de Vizela, de Braga; Bons Maridos, de Santarém; Brisa do Liz, de Leiria; Charutos dos Arcos, de Viana do Castelo; Crista de Galo, de Vila Real; Filhós de Cabrela, de Évora; Folar de Olhão de Faro; Mel Biológico do Parque Natural de Montesinho, também de Bragança; Ovos Moles de Aveiro, igualmente de Aveiro; Pastel de Tentúgal, de Coimbra e as Roscas de Monção, mais um doce de Viana do Castelo.

Recordamos que neste sábado, dia 7, dos 14 finalistas apurados vão ser eleitos “7 Doces” pelos portugueses como “7 Maravilhas Doces de Portugal”.

A Gala Final realiza-se, hoje, em Montemor-o-Velho e é transmitida pela RTP1, a partir das 21.00 horas.


Comente esta notícia