Seca

“Este relatório do INE analisa as implicações ambientais da atividade económica do país, porque os resultados, que são compatíveis com as Contas Nacionais, possibilitam a elaboração de uma análise económico-ambiental integrada.”

"Em 2017, os principais indicadores ambientais apresentaram acréscimos: o Potencial de Aquecimento Global (6,9%), o de Acidificação (1,4%) e o de Formação de Ozono Troposférico (1,3%), enquanto a atividade económica (medida pelo Valor Acrescentado Bruto) cresceu, em termos reais, 3,3%", aponta o INE, em comunicado.

Olhando para os setores, esclarece o INE, "em 2017, à semelhança do que sucede desde 1999, o ramo de atividade económica que mais contribuiu para o Potencial de Aquecimento Global foi a energia, água e saneamento (30,8%). Relativamente a 2016, este foi também o ramo de atividade que mais aumentou as suas emissões: 16,6%.”


Comente esta notícia