Foto TSF André Ventura

A campanha está no terreno e serão 12 dias de ações condicionadas pela pandemia. A maioria dos candidatos cancelou jantares e outros encontros com a população e muitas das iniciativas previstas são feitas on-line.

"O deputado único do recém-formado partido da extrema-direita parlamentar tem visado a comunidade cigana várias vezes e à porta do cineteatro de Serpa, ontem, cerca de 50 pessoas empunharam cartazes, gritaram palavras de ordem e recorreram a buzinas para expressar o seu desacordo com as ideias defendidas por André Ventura", escreveu a TSF.

«O líder do partido da extrema-direita parlamentar classificou a sua corrida ao Palácio de Belém como “a maior ameaça" ao sistema. “Não são ‘Grândolas’ cantadas lá fora por subsidiodependentes que nos vão fazer parar esta marcha. Perderam os debates todos e agora querem ganhar na rua”, continuou, referindo-se ao espetro político da esquerda, citando “comunistas e socialistas”».

«"Alentejo, terra da Liberdade", "Não queremos RSI (Rendimento Social de Inserção), mas trabalho", "Facho!" ou "Zeca, obrigaram-me a vir para a rua" foram algumas das inscrições nas tarjas e cartazes improvisados», ficando assim marcado o primeiro dia de campanha do candidato André Ventura à presidência da República.


Foto: do Site da TSF.



Comente esta notícia

Galeria de fotos