Quinzena Primavera no Campo Branco
A organização pertence à Câmara Municipal de Castro Verde, em colaboração com as associações, estabelecimentos de ensino e juntas de freguesia do concelho.

Trata-se de um evento que celebra a cultura como componente essencial para a valorização humana e que reconhece o papel que a mesma tem na formação dos cidadãos, assim como o seu contributo na construção de uma sociedade mais solidária, por isso, é também um programa comemorativo da Revolução de Abril.

A Primavera no Campo Branco apresenta, como manda a tradição, um programa plural, direccionado a diferentes públicos, que atravessa as diversas artes de palco música, teatro, dança, cinema, reforçando dinâmicas inerentes aos equipamentos de cultura e lazer, não deixando, no entanto, de equacionar a vivência do espaço público, através da promoção de iniciativas que procuram trazer a festa para fora dos espaços formais.

Segundo a autarquia de Castro Verde "a Primavera no Campo Branco é sinónimo de apresentação de projectos de qualidade e de espectáculos de âmbito nacional, com destaque, nesta edição, para nomes como GNR, Gisela João, Salvador Sobral, HMB, Teatro da Terra e Companhia de Dança Contemporânea de Almada" .

O programa é também, de acordo com o município, um espaço de visibilidade para a criatividade e projectos locais, na medida em que os mesmos assumem especial relevância ao longo de toda a programação. São disso exemplo, o Conservatório Regional do Baixo Alentejo, o Coro Polifónico de Castro Verde, os grupos corais, a viola campaniça, os artistas plásticos locais, etc.

A promoção do livro, da leitura e o assinalar do 22º aniversário da Biblioteca Municipal Manuel da Fonseca é outro dos motes para a Primavera no Campo Branco, através da promoção de um vasto conjunto de iniciativas onde se destacam nomes como Valter Hugo Mãe, Mário de Carvalho, Ana Margarida de Carvalho, Pedro Chagas Freitas.

Comente esta notícia