Professores

O Governo aprovou o diploma que acabaria por ser promulgado pelo presidente da República e publicado na semana passada em Diário da República. Sobre esta matéria os professores dizem que a tutela mantém a sua postura de intransigência, relativamente à recuperação do tempo de serviço, situação que consideram intolerável, frisa Manuel Nobre. Neste contexto, o presidente do Sindicato de Professores da Zona Sul (SPZS) anunciou que no dia da discussão do diploma, 16 de abril, os professores vão concentrar-se frente à Assembleia da República.

Agora as atenções dos professores estão centradas na Assembleia da República, uma vez que os deputados do Bloco de Esquerda, PCP e PSD já anunciaram que a 16 de abril vão avançar com pedidos de apreciação parlamentar do decreto-lei, revela, também, Manuel Nobre, referindo que está na mão dos partidos alterar esta situação.

Excertos da entrevista concedida à Rádio Voz da Planície (RVP) por Manuel Nobre, presidente do SPZS, sobre as formas de luta que os professores prometem concretizar no caso do “decreto do roubo”, como lhe chamam, não ser alterado no dia 16 de abril. Esta é, igualmente, a entrevista que pode ouvir nesta terça-feira, na íntegra, nos jornais alargados da RVP, às 12.00 e às 17.00 horas.


Comente esta notícia