queijos

Nesta terça-feira, pelas 10.00 horas, através da plataforma Zoom e com transmissão em direto na página de Facebook do CFD4CHEESE, vai ser apresentado este projeto que, ao longo de dois anos, envolveu mais de 30 pessoas e que pretendeu “melhorar as condições de cura das queijarias tradicionais”, tal como explica João Dias, investigador responsável do Projeto CFD4Cheese. 

João Dias revela, ainda, que foi feito um protótipo que implementou as novas tecnologias, numa fase de acompanhamento da cura do queijo.

De acordo com o comunicado do IPBeja, “o projeto culminou no desenvolvimento de uma nova câmara de cura de queijo artesanal e de uma aplicação para telemóvel com informação sobre a viabilidade económico-financeira, de apoio aos produtores na decisão do investimento para a nova tecnologia”. 

Neste projeto participaram enquanto instituições parceiras o Instituto Politécnico de Portalegre, o Instituto Politécnico de Setúbal, a Faculdade de Ciência e Tecnologia, da Universidade Nova de Lisboa e o CEBAL – Centro de Biotecnologia Agrícola e Agro-Alimentar do Alentejo. 


Comente esta notícia