apagão

Estas iniciativas, decretadas por 10 estruturas sindicais unidas em plataforma, surgem no dia em que o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, vai à Assembleia da República apresentar aquilo que o seu ministério tem previsto no Orçamento de Estado para 2019.

Manuel Nobre, presidente do Sindicato dos Professores da Zona Sul, afirma que este é um orçamento que faz um corte no sector da educação e que com o protesto, de hoje, professores e educadores querem, entre outras questões, dar expressão ao seu repúdio face à imposição do Governo de lhes apagar tempo de serviço que cumpriram.

Manuel Nobre destaca também algumas das matérias que os sindicatos querem ver contemplados no Orçamento de Estado para 2019.



Comente esta notícia