SÍMBOLO DO PARTIDO SOCIALISTA

Para os deputados municipais do PS, a situação começou logo em setembro do ano passado, com a marcação de uma Assembleia Municipal em que a transferência de competências foi reprovada, pela maioria da CDU, quando não "não era esse o entendimento do PS". A informação "que tinham sido aprovadas em reunião de Câmara" foi retirada porque não correspondia às declarações prestadas por Sebastião Oliveira, líder da bancada do PS, mas sim as que agora constam. Sebastião Oliveira esclareceu, também, que os socialistas estiveram nesta reunião, mas que não votaram a proposta apresentada.

Sebastião Oliveira prossegue frisando que as marcações “ilegais” de assembleias municipais repetiram-se em janeiro e em março, explicando que as mesmas não passaram de “manobras da CDU para fazer valer a sua posição sobre esta matéria”. Sebastião Oliveira deixou claro que na última reunião, o PS abandonou a sala para mostrar que não “compactua com ilegalidades”.

Sebastião Oliveira disse, ainda, que os socialistas de Vidigueira fizeram chegar às entidades competentes, identificando as mesmas, o que se está a passar neste concelho, recordando que a sua posição se vai manter relativamente a este tipo de “atitudes”.


Comente esta notícia