Mário Simões a falar

A candidatura do PS considera que em 2015, a "farsa" do PSD/CDS-PP repete os acontecimentos das eleições de 2011, aquando da eleição de Carlos Moedas e questiona a utilidade do voto na Coligação "Portugal à Frente", dizendo que a verdadeira intenção neste ato eleitoral não é eleger a candidata, mas sim, pela segunda vez, Mário Simões como deputado.

Dirigindo-se a Pedro do Carmo, Mário Simões respondeu às acusações do PS, começando por explicar o objetivo da candidatura da Coligação "Portugal à Frente" e recordando-lhe alguns nomes do Partido Socialista, eleitos por Beja, que se foram embora para assumir funções governamentais.

Mário Simões acusou ainda, Pedro do Carmo e José Alberto Guerreiro, de terem defraudado os seus eleitores, porque interromperam, ao fim de dois anos, os mandatos autárquicos de quatro, para os quais foram eleitos.

Mário Simões finalizou sugerindo a Pedro do Carmo que se centre daqui para a frente nas ideias que defende para o distrito e dizendo esperar que esta sua resposta coloque um ponto final a uma campanha de "ataque pessoal" que o PS está a querer iniciar.


Comente esta notícia