FINANÇAS

Este período de greve decretado pelo Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos está a coincidir com as datas que o Governo tinha determinado para pagamentos de impostos em atraso, sem multas, através do chamado "perdão fiscal", mas apesar desta paralisação, a tutela já fez saber que não vai haver alargamento do prazo estabelecido.

Recorde-se que os trabalhadores dos impostos estão a lutar contra o encerramento de repartições de finanças, por todo o País, no distrito a previsão é fechar 10, das 14 existentes, ficando apenas as de Beja e Odemira.

Os trabalhadores dos impostos estão em luta também, contra a falta de vínculo, de carreiras e progressão nas mesmas.




Comente esta notícia