Escola Castro Verde

No documento enviado à nossa redação, Francisco Duarte diz responder à comunicação do vereador António José Brito, nas redes sociais e neste contexto esclarece que quer o Município, quer o Agrupamento de Escolas e o Conselho Municipal de Educação vêm exigindo, "pelos canais competentes", soluções para a Escola Secundária. Acrescenta que "as obras de requalificação desta Escola estiveram contempladas na "3ª fase das intervenções programadas pela «Parque Escolar», em 2012 (!), mas adiadas pelo período de contenção financeira imposto pelo Governo de Passos Coelho".

Francisco Duarte prossegue, referindo que "no âmbito da elaboração do Mapeamento das Infraestruturas Escolares do Portugal 2020, foram incluídas as obras de requalificação da Escola de Castro Verde, após uma intervenção intensa do Município de Castro Verde entre Abril e Junho de 2015" e que "neste quadro, foram abertos, a 5 de Fevereiro de 2016, os concursos respeitantes às infraestruturas escolares municipais, sendo que as respeitantes ao Programa Operacional Regional, onde se integrava a da Escola Secundária de Castro Verde, ficaram à espera de melhores dias". Revela ainda que "a Câmara de Castro Verde fez chegar ao Ministério da Educação e à Autoridade de Gestão do Alentejo 2020, uma proposta do Município para reorganização de parte do parque escolar da vila, em termos do edificado, com exceção do Centro Escolar nº 2."

No documento é dito, igualmente, que se está a "chegar a um patamar de concretização do programa de reabilitação e requalificação de instalações escolares em Castro Verde, incluindo a Escola Secundária" e lembra que na solução divulgada por Pedro do Carmo, "a contrapartida nacional é de igual forma repartida entre o Município de Castro Verde e o Governo Português, pelo que a requalificação da Escola Secundária só será possível graças ao bom entendimento entre a autarquia, a Autoridade de Gestão e o Governo Português, e não por iniciativas melhores ou piores de um em detrimento de outros, para poder afirmar de forma gratuita e irresponsável que «o Governo avança com as obras de requalificação da escola»".


Comente esta notícia