greve professores

Os professores dizem não ao “apagão” de 9 anos, 4 meses e 2 dias, reivindicam também um regime de aposentação específico, horário ajustado de 35 horas semanais e contestam a precariedade que se vive no sector.

Manuel Nobre, presidente do Sindicato dos Professores da Zona Sul, espera que, esta tarde, o ministério da Educação apresente uma solução para as questões que se arrastam há já vários meses e que levaram à realização da greve.

Ainda segundo, Manuel Nobre o ministério tutelado por Tiago Brandão Rodrigues esteve mal porque, no ano passado, assumiu um compromisso, para 2018, que acabou por não cumprir. Manuel Nobre considera também que a adesão que a greve tem tido demonstra bem que esta é a luta de todos.





Comente esta notícia