António José Seguro

António José Seguro começou o seu périplo pelo distrito de Beja, com uma visita ao Lar da Amareleja e um almoço em Moura. Na parte da tarde, o secretário-geral dos socialistas visitou a delegação da Cruz Vermelha Portuguesa, por considerar que esta é uma instituição que tem um papel invisível e fundamental para fazer face aos sacrifícios das pessoas e falou também sobre as perspectivas do PS, em mês de eleições autárquicas, para o distrito.

António José Seguro recordou que o PS é um grande partido e que concorre no distrito de Beja com o desejo de ganhar em todos os concelhos. Sabendo que tal não será possível, acrescentou que a perspectiva é manter as autarquias existentes e aumentar o número de votos.

O secretário-geral do PS apresentou também no distrito de Beja o PDI - Plano de Desenvolvimento para o Interior, suportado por fundos comunitários e que tem como principais objectivos criar emprego, promovendo desta forma a fixação de população, por ser este o maior problema que os territórios do interior do País enfrentam.

Em Vidigueira, António José Seguro centrou atenções na Cooperativa Agrícola e na Adega Cooperativa de Vidigueira e na sua intervenção sobre a temática da economia do interior.

Alvito foi o concelho escolhido para a realização de um jantar e o de Cuba para a realização de um comício.


Comente esta notícia

O PS está mesmo à rasca no Alentejo... fizeram a Universidade de Verão (não sei, mas tendo o mesmo nome da iniciativa do PSD, deve ser esta a Universidade que tem passado os diplomas ao Sócrates, ao Relvas e a outros que por aí andam) em Évora, agora vai a Cuba, à Amareleja (afinal a lista é de independentes ou do PS assim meio camuflada?) e a BEJA, veja-se.... em Alvito há sempre uma esperança, lol, pois também é um concelho onde já toda a gente ganhou! Em Vidigueira, é melhor deixarem-se disso! Nem a visita à empresa do candidato PS os safa... Nunca se viu uma correria tão grande ao Alentejo em tempo de pré-campanhas.... Haja decoro! Os presidentes em exercício, salvo raras excepções, são fracos e(ou fizeram um péssimo trabalho e os eleitores, ao que parece, preparam-se para mostrar que sabem muito bem o que são AUTÁRQUICAS e LEGISLATIVAS... Não tendo uma coisa que ver com a outra, vão escolher o que pensam ser melhor para si e para as terras onde vivem. APOIADO. Eu na minha faço o mesmo!

António Pedro dos Santos Serra

30/11/-0001