Lar São Francisco Serpa

75 utentes e 13 funcionários infetados por Covid-19, 88 no total, que resultaram em 10 internamentos, um em cuidados intensivos, e 4 mortes. “Alguns destes casos no Lar de São Francisco levaram à inclusão de Serpa na lista dos concelhos com elevado risco de contágio e o desenrolar dos mesmos, ou seja do seu aumento, vai fazer com que se permaneça nesta situação muito para além do dia 18 deste mês”. As declarações são de Tomé Pires, presidente da Câmara de Serpa.

É Tomé Pires quem explica, também, como a situação tem estado a ser acompanhada, e vigiada, por diversas equipas no terreno. Recorda que “foram vividos momentos difíceis, pois devido às infeções entre trabalhadores do Lar a escassez de recursos humanos complicou, e muito, a assistência aos mais velhos, situação resolvida com recurso a brigadas da Cruz Vermelha Portuguesa e à contratação de serviços a uma empresa externa preparada para este tipo de apoio”.

“Está previsto para breve o regresso dos trabalhadores que estiveram em confinamento e por isso mesmo”, frisa Tomé Pires, “tudo irá normalizar”. O presidente da Câmara de Serpa fez questão de referir, ainda, que “neste Lar não houve utentes a dormir no chão, como chegou a ser noticiado”, mas lembrou que “houve necessidade de alguns funcionários permanecerem no espaço e que estes sim, podem ter tido situações em que descansaram em colchões”.

De acordo com o boletim epidemiológico, publicado no Facebook da Câmara de Serpa, há 137 casos ativos de infeção por Covid-19 neste concelho.


Comente esta notícia