Euros

A diferença é abissal quando comparado com 2014, ano em que 30% dos portugueses economizavam todos os meses. O estudo revela ainda que a maioria dos inquiridos (59%) não faz qualquer tipo de poupança. Quanto aos métodos de amealhar dinheiro, é a transferência para conta a prazo que conquista mais consumidores (20%).

Face a 2015, há uma clara diminuição do hábito de fazer poupanças. No ano passado, 47% dos portugueses declaravam economizar de alguma forma, percentagem que caiu agora para os 36%. No total de inquiridos, 29% afirmam poupar sempre que possível, ou seja, quando sobra algum dinheiro no final do mês e somente 4% dos consumidores declaram fazê-lo com uma regularidade mensal. Há ainda uma minoria (3%) a confessar fazer poupanças, mas apenas de forma pontual, com os subsídios de Natal e férias, por exemplo.


Comente esta notícia