João Rocha

João Rocha frisou, igualmente, que não sendo de Beja talvez já conheça o suficiente do concelho para poder contribuir para a sua afirmação, coisa que não se tem conseguido fazer até agora.

Articular todas as potencialidades do concelho, criando um fio condutor, uma estratégia para atingir um fim são os objectivos da candidatura que lidera, revelou João Rocha. Naquele contexto, o candidato afirmou que para tal, Beja precisa de uma candidatura que esteja de bem com todos e que envolva todos em prol do desenvolvimento comum, contando com os que conhecem no terreno, os problemas que urgem resolver, para que os mesmos possam ser ultrapassados.

Diálogo, proximidade, contacto directo com as pessoas, sem intermediários, foram palavras utilizadas muitas vezes ao longo do "Preto no Branco", entrevista onde João Rocha clarificou que aquelas são as suas formas de actuar. O candidato explicou também que não está na política para enganar ninguém e que considera que se é eleito para governar em quatro anos, começando a trabalhar e a construir logo no primeiro dia.

João Rocha não quis fazer comentários sobre os outros candidatos a Beja e garantiu que vai continuar a apostar, nos pouco mais de dois meses que faltam para 29 de Setembro, no contacto directo com as gentes e os agentes do concelho.

O candidato da CDU deixou claro ainda, que se é do local onde se está, que o não ser de Beja não é obstáculo, porque tudo depende do trabalho que se desenvolve e da forma como se serve os objectivos comuns.

João Rocha terminou referindo que os eleitores devem pensar em votar em quem melhor defende os destinos do concelho e dizendo que lidera uma equipa que dá garantias disso mesmo.


Comente esta notícia