1º Ciclo do Ensino Básico

Manuel Nobre, presidente do Sindicato de Professores da Zona Sul (SPZS), afeto à FENPROF, explica como surgem mais 4,5 horas no horário dos alunos do 1º Ciclo e como esse facto, prejudica os mesmos, em termos pedagógicos.

Até há poucos anos, no 1.º Ciclo os professores trabalhavam em regime de monodocência, porém, hoje, pior do que ter sido feita qualquer alteração sem a indispensável discussão, ainda que em nome de um alegado "interesse pedagógico", as coisas passam-se de forma completamente distinta de agrupamento para agrupamento e, por vezes, até entre escolas do mesmo agrupamento. Para a FENPROF, o problema não está na solução, mas na desigualdade que resulta da multiplicidade de soluções, ditada, quase sempre, por fatores alheios ao interesse pedagógico, frisou, igualmente à Voz da Planície Manuel Nobre.

Manuel Nobre referiu ainda, que a organização pedagógica do 1.º Ciclo do Ensino Básico é hoje mais um fracasso da atual equipa ministerial, cuja medida mais significativa no setor foi o regresso ao "exame da 4.ª classe" e o castigo aos reprovados, que têm mais dias de aulas.

É necessário por tudo isto, na opinião de Manuel Nobre, que logo após a saída da atual equipa ministerial sejam criadas condições para encontrar soluções que tenham em atenção, o interesse pedagógico e a importância que tem para o desenvolvimento da criança e o seu futuro percurso escolar e educativo esta primeira fase da escolaridade.


Comente esta notícia