escola primária a encerrar
O SPZS começa por recordar que desde 2002, altura em se iniciou o programa de reorganização da rede do 1.º ciclo, já foram fechadas mais de 6.000 escolas. É também recordado que o encerramento começou com escolas com menos de 10 alunos e, em 2010, a medida foi alargada a estabelecimentos com menos de 21 crianças.

Para o SPZS com esta medida administrativa o Governo vai continuar a  contribuir, para a desertificação do interior do País, retirando as crianças  do seu ambiente natural, quebrando laços familiares de grande importância para o seu equilíbrio emocional, obrigando a alterações de horários e a deslocações desnecessárias, não respeitando as Cartas Educativas. Manuel Nobre, presidente do SPZS, dá voz ao protesto.

Por considerar que se trata de medidas que são apenas economicistas e que não têm em conta o desenvolvimento do interior do País, questões pedagógicas, nem o impacto que podem ter para as comunidades que são afectadas, o SPZS, vai promover acções que possam levar o governo a recuar nesta sua intenção.

Segundo Manuel Nobre, a primeira iniciativa realiza-se, hoje, em Rio de Moinhos, precisamente porque é um local onde a escola do ensino básico tem menos de 21 alunos e, por isso, está na lista do governo.

Comente esta notícia