Setembro Amarelo

A semana começou com um colóquio, que juntou jornalistas nacionais e locais, sobre o tema “Noticiar o Suicídio” e terminou ontem, com aoficina de trabalho: “Comunicação em/de Saúde Mental”, iniciativa que contou com as participações de Lúcio Silva, da ULSBA, de António Granado, da Faculdade de Ciências da Universidade Nova de Lisboa, de Joana Lobo Antunes, do Instituto de Tecnologia Química e Biológica, da Universidade Nova de Lisboa e de João Gaspar, da Rede de Comunicação de Ciência e Tecnologia de Portugal.

Ana Matos Pires, presidente da Direção da ARIS - Associação de Reabilitação e Integração Social da Pessoa com Experiência de Doença Mental, a entidade responsável pelas atividades programadas no âmbito das comemorações do “setembro amarelo”, faz um balanço positivo destas duas atividades, frisando que no final ficou a certeza de que é necessário encontrar, no trabalho conjunto com a comunicação social, estratégias para melhorar o objetivo literacia em saúde e combate ao comportamento suicidário.

António Granado, que também já foi jornalista e que tem uma vasta experiência de comunicação em ciência, deixou uma nota sobre a importância do trabalho dos jornalistas nestas matérias, porque são os intermediários entre os profissionais de saúde e o público em geral.

As atividades “setembro amarelo” prosseguem na próxima semana, em Beja, com iniciativas dedicadas ao tema: “A Arquitetura e a Saúde Mental”. 


Comente esta notícia