Tomé Pires

O presidente da Câmara de Serpa afirmou ao "Preto no Branco" da voz da Planície, que num concelho onde a aposta não está centrada apenas na cultura, mas sim no desenvolvimento sustentável, que integra três vertentes, a cultural, a económica e a social, os serpenses vão voltar a dar a vitória ao projecto autárquico da CDU, nas eleições deste ano, por ter provas dadas e porque apresenta um programa sólido que aposta numa equipa competente e na continuidade das políticas que têm sido desenvolvidas até aqui.

Recorde-se que Tomé Pires sucedeu em Serpa, a João Rocha e conhecendo bem o autarca e o homem, afirmou, em entrevista à nossa estação, que foi uma excelente aposta, a CDU ter confiado no seu nome para a presidência da Câmara de Beja, nas autárquicas deste ano, e que acredita que o mesmo vai ganhar as eleições.

Com os olhos postos no presente e no futuro, Tomé Pires realçou a ajuda que o Município de Serpa tem dado às empresas sedeadas no concelho, assim como àquelas que nele queiram vir a implementar-se. Acrescentou que Alqueva já mudou o paradigma agrícola do concelho de Serpa e que quando o regadio estiver terminado acredita que o número de empresas possa vir a aumentar.

Para o presidente da Câmara de Serpa o caminho é continuar a apostar na produção, assim como na transformação de produtos e frisou que a autarquia está a fazer a ampliação das zonas industriais, da sede de concelho, Vila Nova de S. Bento e Pias, para dar resposta àquela estratégia.

 

Comente esta notícia