Resialentejo

Aqueles trabalhadores já tinham feito um dia de greve, no passado mês de junho e a Comissão de Greve voltou agora a aprovar, na assembleia realizada no dia 14 deste mês, uma nova paragem de três dias, tal como tinha sucedido na primeira vez, apesar de terem sido desconvocadas duas das paragens previstas.

O objetivo da greve, de acordo com o comunicado enviado à nossa redação, é reivindicar a extinção do cargo de diretor executivo "como um cargo político" e a abertura de concurso público para a seleção e recrutamento do diretor executivo, "não condicionado à duração dos mandatos do órgão executivo" e "com a participação e parecer vinculativo" dos trabalhadores.

Uma paralisação que volta a suceder, de acordo também com aquele documento, depois de "várias reuniões de trabalho" com a administração da empresa, onde "não foi possível encontrar soluções para todas as reivindicações dos trabalhadores".

 


Comente esta notícia