A Igreja de Nossa Senhora da Lagoa, matriz de Monsaraz, abre as portas dia 23, sábado, às 21.30 horas, para acolher o concerto: A “Ordem Natural das Coisas: Música Espanhola e Portuguesa dos Finais do Século XIX”, pelo Trio Arbós. Este concerto é, também, o primeiro ato de Mostra Espanha 2019, resultado da colaboração bilateral luso-espanhola.

Antes do concerto, as pessoas são convidadas a conhecer, às 15.00 horas, o Museu do Fresco – O Bom e o Mau Juiz: Alegorias da Justiça na Audiência de Monsaraz, numa visita guiada por Ana Paula Amendoeira, historiadora e António Candeias, químico. Em 1958, foi descoberto no antigo tribunal de Monsaraz uma invulgar pintura a fresco, de finais do século XV, que evoca, alegoricamente, as Justiças Divina e Humana. Uma observação atenta da rara iconografia do painel permite entendê-lo à luz da época, pondo em destaque um tema então muito debatido, o do bom governo dos povos, patente numa célebre obra de Diogo Lopes Rebelo, dedicada a D. Manuel I, que coloca o rei “mais próximo e junto de Deus” – prenúncio do Absolutismo.

Neste domingo, 24 de fevereiro, os participantes são convidados a interpretar a paisagem: Reguengos de Monsaraz e o seu Hinterland, numa visita conduzida por Teresa Pinto Correia e José Muñoz-Rojas, geógrafos, a partir das 09.30 horas.


Comente esta notícia