Deputado do PSD Mário Simões

Mário Simões «aponta o dedo», a \"socialistas, certos centrões e alguns bloquistas", identificando, entre eles, Luís Pita Ameixa e o ex-secretário de Estado da Saúde do PS, Óscar Gaspar, dizendo que os mesmos têm vindo a "eleger como preferencial alvo dos seus dislates, a política de saúde no Baixo Alentejo e a ULSBA, em particular".

As acusações de Mário Simões são feitas a Óscar Gaspar, referindo-se ao episódio em que declarou nas páginas do Diário do Alentejo: "Falta de médico na administração da Ulsba é "uma questão de saúde pública".

Para Mário Simões, este tipo de disparate é grave e lamentável, podendo mesmo prejudicar o relacionamento das pessoas com o seu Hospital e criando alarmismo desnecessário.

O presidente da Distrital de Beja do PSD prossegue recordando que Óscar Gaspar se esqueceu que "o seu Conselho de Administração, nomeado pelo seu Governo, terá constituído uma dupla questão de saúde pública pois esteve em funções durante 14 meses, sem director clínico dos cuidados de saúde primários e sem presidente do Conselho de Administração".

Mário Simões deixa o alerta e pede a Luís Pita Ameixa e Óscar Gaspar, que se retratem publicamente, relativamente a matéria colocada na praça pública, que representa calúnia e mentira.

O presidente da distrital laranja, no sentido de "tranquilizar a opinião pública e de repor a verdade", assegura ter obtido a informação de que, o Conselho de Administração da ULSBA tem, para além da presidente do Conselho, um vogal executivo, um médico director dos cuidados de saúde primários, um enfermeiro director, e que conta também com a assessoria de uma médica assistente graduada, do seu mapa de pessoal hospitalar, para a área dos cuidados hospitalares, a quem o Conselho de Administração, no uso dos seus poderes, delegou todas as competências da área de direcção clínica hospitalar.


Comente esta notícia