Vidigueira protocolo

Determinadas em ver reconhecida a importância histórica, cultural e patrimonial da técnica de produção de vinho de talha quer no plano nacional quer no plano internacional, as autarquias e as entidades, assinaram esta semana um protocolo de cooperação.

Consideram que “a salvaguarda de um bem cultural tão presente no território alentejano tem uma preponderância determinante para compreendermos a origem das nossas raízes e da nossa identidade cultural e associa municípios e organizações que evidenciaram vontade expressa em defender, valorizar e promover uma das heranças culturais que nos une e distingue”.

Rui Raposo, presidente da autarquia de Vidigueira, que lidera o Processo de candidatura da Produção Tradicional de Vinho de Talha a Património Cultural Imaterial da Humanidade, destaca a importância do protocolo e revela que o documento ainda está aberto a outras autarquias e entidades que se queiram associar ao projecto.

Rui Raposo aponta ainda algumas vantagens do vinho de talha ser classificado como Património Cultural Imaterial da Humanidade.






Comente esta notícia