windavia

De acordo com o semanário, dos 24 voos previstos realizaram-se apenas oito, sendo que desde o passado dia 16 de Junho que não aterra qualquer avião comercial em Beja, dado que a rota foi alterada para o aeroporto de Lisboa, levando os turistas franceses que tinham viagem marcada a aterrar na infraestrutura aeroportuária da capital e a seguirem viagem para Tróia.

Os voos Paris-Beja estavam a ser garantidos pela operadora de voos charter nacional Windavia, que fez no aeroporto da capital de distrito o seu voo de apresentação, a 11 de Dezembro de 2013, deixando nessa altura a promessa da realização, de forma regular, daquela travessia aérea.

No dia 4 de Abril deste ano, a Voz da Planície dava conta de notícias que avançavam com o fim das ligações do operador aéreo de charters Windavia e que essa situação iria comprometer os voos Paris/Beja. A Windavia, na altura, desmentiu as notícias em causa à "Publituris", através da voz de Pedro Bollinger, director-geral.

Recorde-se que a Windavia devia realizar, entre Abril e Outubro deste ano, um voo semanal para o Aeroporto de Beja, uma operação contratada pelo operador GPS Tour, à partida de vários destinos franceses, que deveria implicar mais de 10 mil passageiros, dois terços dos quais com destino a Tróia e os restantes com destino ao interior alentejano.


Comente esta notícia