João Ramos

A partir do dia 1 de Março, João Ramos é substituído por João Dias, foram “circunstancias da vida familiar” que o levaram a tomar a decisão de deixar a Assembleia da República.

João Ramos, enfermeiro de profissão, afirma que neste momento aquilo que está perspectivado é que regresse ao Centro de Saúde de Moura, onde é funcionário, mas garante que vai continuar com intervenção política e social.

Quanto à possibilidade de ser candidato a alguma Câmara Municipal do distrito de Beja, nas autárquicas de 2021, João Ramos assegura que esse não é o motivo que o leva a deixar a Assembleia da República mas, também afirma que na vida não é possível dizer “desta água não beberei”.

Na entrevista, João Ramos fala também de Alqueva, recorda que o PCP sempre defendeu a construção da grande barragem do sul, enquanto elemento importante de dinamização da agricultura. O deputado comunista considera, no entanto, que os problemas da região persistiram ao contrário do que era a expectativa e alguns até se agravaram.

Relativamente às questões da saúde, João Ramos, garante que o PCP há já muito tempo que tem acompanhado a situação e considera que aquilo que falta são “medidas políticas”.

Uma entrevista para ouvir, esta tarde, a partir das 18.00 horas, na Voz da Planície e ler na edição desta semana, do Diário do Alentejo.





Comente esta notícia