LUÍS DARGENT FOTOGRAFIA

Luís Dargent faz um balanço positivo do ano 2014, no plano regional e nacional. No regional destaca o facto, do regadio do Alqueva estar a caminho da sua conclusão, a inscrição do cante como património da humanidade e os produtos hortícolas que têm contribuído para o equilíbrio da balança de transações. Dá nota negativa às acessibilidades rodoviárias e ferroviárias e ao aproveitamento do aeroporto.

Na região, para Luís Dargent, falta ainda, diversificar o investimento e combater os números do desemprego, campo em que no plano nacional também lhe dá nota negativa. O presidente da Distrital de Beja do CDS-PP lembra contudo, que a nível nacional, e em 2014, os portugueses continuaram sem sentir a retoma da economia e faz uma chamada de atenção para questões como o BES e o Monte Branco que, apesar de revelarem que a justiça está a funcionar, podem ser um problema se as suas conclusões, em 2015, não forem do entendimento de todos.

A falta de soluções económicas a nível global e o ressurgimento de conflitos fundamentalistas, no mundo, também preocupam este responsável partidário.

Quanto a 2015, Luís Dargent considera estar tudo em aberto, embora deposite grandes esperanças no mesmo, que podem vir a não se confirmar por ser ano de eleições, altura em que nas suas palavras "o pior pode vir ao de cima".

 


Comente esta notícia