ANA MATOS PIRES

Ana Matos Pires, é natural de Santo Tirso, reside em Lisboa e agora trabalha em Beja, exercendo o cargo de diretora do Serviço de Internamento do Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Hospital da capital de distrito.

Na nota de apresentação, Ana Matos Pires diz-se interessada em política desde sempre interessada e que se envolveu ativamente nas campanhas dos referendos à descriminalização do aborto, tendo, na de 2007, tomado várias posições públicas integrada no movimento Médicos Pela Escolha. Nos últimos anos tem dedicado interesse particular às questões relativas à violência de género, quer como cidadã quer como profissional de saúde mental. Participou na luta pelo acesso ao casamento civil por homossexuais e, mais recentemente, na discussão pública da adoção por casais homossexuais.

Sobre a sua candidatura refere que nos últimos quatro anos a sociedade portuguesa foi sujeita a um processo de erosão dos princípios básicos do Estado Social e que urge travar esse caminho. Assume também que questões de género e parentalidade serão discussões fulcrais nos próximos tempos, porque a coberto de preocupações demográficas (e da consequente sustentabilidade da Segurança Social), se corre o risco de um retrocesso inconcebível e inaceitável também nas conquistas da condição feminina.

Ana Matos Pires diz ainda, que vai interagir com os eleitores através de plataformas online, por pensar ser possível manter um diálogo com os que se mostrem interessados em participar na construção de um futuro progressista e sustentável para a sociedade portuguesa. Mas assegura, igualmente, não dispensar os encontros pessoais regulares com os cidadãos para debater o trabalho parlamentar.


Comente esta notícia