crianças escolas

Para Manuel Nobre, presidente do Sindicato dos Professores da Zona Sul, o arranque deste ano letivo traz consigo “os problemas do costume”, nomeadamente, a falta de pessoal docente e não docente nas escolas, aos quais, “o Governo continua a não dar a atenção devida”.

Além da aposentação tardia do corpo docente, Manuel Nobre apontou, também, como constrangimentos que afetam os professores, a questão dos horários de trabalho, a precariedade do sector e a não contagem do tempo de serviço, dos 9 anos, 4 meses e 2 dias.

Com o objetivo de reivindicar aquilo a que têm direito, o sindicalista revela que, no início deste ano letivo, os professores vão realizar várias iniciativas, nomeadamente, sessões de esclarecimento em todos os agrupamentos do país; a distribuição de um documento aos pais e encarregados de educação, onde são reveladas as motivações da luta dos professores; uma semana de greve anunciada para a primeira semana de outubro e, ainda, a grande manifestação nacional prevista para o dia 5 de outubro, Dia Mundial do Professor.


Comente esta notícia