dia com Isabel Abrantes

Segundo o CEBAL “os nemátodes, animais geralmente microscópicos, cilíndricos e alongados, têm uma distribuição universal podendo ser encontrados em ambientes aquáticos ou no solo, podem ser bacteriófagos, fungívoros, predadores, omnívoros e parasitas de animais ou de plantas, são muito importantes nos processos ecológicos do solo como, por exemplo, na decomposição da matéria orgânica e reciclagem de nutrientes”. Além disso, de acordo com o CEBAL”são bioindicadores (entram nas redes tróficas) e a sua proporção pode traduzir a qualidade do habitat, podem ainda ser reguladores da rizosfera (dispersão de bactérias, vírus e fungos) e agentes de controlo biológico”.

Afirma ainda o CEBAL que “os nemátodes fitoparasitas alimentam-se de várias partes da planta (raízes, caules, folhas, flores, frutos ou tubérculos/bolbos), prejudicando a absorção e transporte de água e nutrientes, as plantas ficam menos tolerantes ao stress físico e mais susceptíveis ao ataque de outros agentes patogénicos,o declínio das plantas leva a uma diminuição da produção e consequente impacto económico”.

A investigação desenvolvida no NEMATO-lab incide no estudo da biologia/ecologia e desenvolvimento de estratégias sustentáveis para a gestão de nemátodes fitoparasitas dos géneros Meloidogyne (nemátodes das galhas radiculares), Globodera (nemátodes de quisto da batateira), Pratylenchus (nemátodes das lesões radiculares) e da espécie Bursaphelenchus xylophilus (nemátode da madeira do pinheiro).

O convite que é feito é que os participantes nesta palestra fiquem a saber tudo sobre estes animais microscópicos de grande impacto nos processos ecológicos do solo.



Comente esta notícia