População de Ervidel em protesto

O executivo da Junta de Freguesia de Ervidel reuniu-se ontem com a Comissão de Economia e Obras Públicas, numa audiência em que transmitiu as preocupações e exigências da população e entregou cópia dos abaixo-assinados e das moções aprovadas nos vários órgãos autárquicos em defesa da Estação dos CTT daquela freguesia. E, conforme declarações do presidente da Junta de Freguesia, Manuel Nobre, exigiram a reabertura da Estação dos Correios. 

Manuel Nobre disse que a Comissão Parlamentar ouviu, tomou notas e comprometeu-se a levar este assunto a outras instâncias no sentido de serem encontradas soluções que não prejudiquem as populações.

Até lá, a população não vai desistir de reivindicar a reabertura da Estação dos CTT na freguesia, adiantou o autarca, ao acrescentar que a Junta de Ervidel tem uma posição de defesa, sem reservas, do serviço público, no caso concreto da Estação de Correios porque, sublinhou, os serviços públicos são para servir as populações e não para servir os interesses privados e economicistas.

E adiantou que vão continuar as iniciativas em defesa das suas reivindicações. Entre as quais, a possibilidade de oferecer à administração dos CTT alguns legumes e artigos de mercearia, à semelhança do que já acontece hoje, com a venda de livros e de CD’s.

Manuel Nobre sustenta que a passagem da Estação a Posto de Correios em Ervidel força a que alguns assuntos tenham de ser tratados em Aljustrel ou em Beja com os consequentes prejuízos que isso representa, especialmente para população mais idosa.


Comente esta notícia