Hospital Beja

O pedido de visita surgiu devido às preocupações dos comunistas relativamente à falta de profissionais naquela unidade e as consequências que essa situação tem tido nos vários serviços.

Nos últimos tempos a questão que mais tem surgido diz respeito à carência de médicos no serviço de urgência de obstetrícia. O PCP afirma que ao longo do tempo denunciou e alertou para esta situação e recorda que foi colocada por diversas vezes, em 2006, 2011 e 2017 a possibilidade de encerramento da maternidade e que no ano passado, o Conselho de Administração da ULSBA informou o CODU-Centro Orientação de Doentes Urgentes de que não conseguia assegurar as escalas de médicos do serviço de urgência obstétrica, uma situação que culminou, no dia 6 de Janeiro deste ano, com o encerramento do serviço durante 12 horas. Esta situação implicou que grávidas tivessem que ter recorrido ao Hospital do Espírito Santo em Évora.

João Dias, deputado do PCP eleito por Beja, manifesta-se preocupado com esta situação e quer saber, junto do CA da ULSBA e do ministério da Saúde, o que está a ser feito para resolver este problema.



Comente esta notícia

O que está a acontecer é bem visível, essa é a forma que o governo encontrou para a construção do hospital central em Évora , O slogan que o PS utiliza de que "Sempre que o PS é governo O Baixo Alentejo avança" é pura mentira e demagogia do senhor deputado do PS eleito pelo Distrito.

José Francisco Palhinha

21/01/2019